Notícias

Uni-BH Vamos parar nessa segunda-feira porque

14 de fevereiro de 2009

1 – os professores estão com salários atra sa dos e, mesmo com uma proposta verbal de quitação até maio, não há garantias ou acordo legal sobre o pagamento de resilições, encargos trabalhistas e ações na Justiça. Por vários meses, a categoria vem discutindo as promessas de regularização, mas a situação chegou ao limite;2 – a Fundac negociou a venda do Uni-BH sem o conhecimento de todos os membros do Conselho da instituição e a aprovação do negócio ocorreu de um dia para o outro;3 – com um patrimônio de R$ 450 milhões e uma dívida de R$ 50 milhões, a Fundac faz um acordo sem transparência para “vender” professores e alunos, e alugar os seus imóveis para um grupo de capital privado, que utilizará o artifício de criação de uma nova fundação para encampar o Uni-BH;4 – o Grupo Ânima apresenta uma proposta para o pagamento dos salários e dá algumas garantias verbais, mas a informação obtida é a de que o pagamento dos salários atrasados, inclusive dos auxiliares de administração, será feito pela própria Fundac, através de empréstimos bancários;5 – os sindicatos se reuniram com o novo gru po e com a Fundac, solicitando a minuta do acordo para avaliar as bases jurídicas da venda, mas não obtiveram retorno;6 – nas vésperas de assembleias da categoria, foram feitas várias tentativas para esvaziar o movimento e evitar que os professores e funcionários participem e decidam pelo direito legítimo de greve;7 – a própria promotora do Ministério Público, que deu o aval inicial para o negócio, diz a um conselheiro que a venda ainda não foi efetivada porque o Grupo Ânima não apresentou capacidade financeira para a compra e que há problemas no contrato;8 – se efetivado o negócio, os professores e auxiliares de administração não têm qualquer garantia de estabilidade de emprego. E para os alunos, fica a incerteza sobre a manutenção da qualidade de ensino;9 – mais do que resolver as questões trabalhistas, o que está em jogo no Uni-BH é a defesa de um projeto pedagógico construído ao longo de 45 anos;10 – vamos exigir maior transparência na instituição, mostrar que temos dignidade e que estamos fartos de promessas. É por tudo isso que vamos parar nessa segunda-feira.Exigimos já!• Explicações do Ministério Público sobre a negociação de venda do Uni-BH;• Acerto dos pagamentos em atraso até o dia 20/02;• Pagamento de multa de 10% sobre todos os atrasados;• Liquidação dos empréstimos consignados;• Parcelamento do passivo trabalhista, em três vezes, a ser pago até maio;• Regularização do pagamento do FGTS/INSS e Imposto de Renda;• Garantia de emprego por 12 meses;• Manutenção das bolsas de estudo.Assembleia de professores do Uni-BH16 de fevereiro – 16hLocal:Hotel Bristol – Rua Tamoios, 341 – Centro – BHPauta:Avaliação de paralisação das atividades docentesIntervalo 389 – Uni-BH – Arquivo PDF

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha