Notícias

Unidade nas ruas contra a retirada de direitos

Um dia para ocupar as ruas e fortalecer a resistência em defesa dos direitos ameaçados pelo governo ilegítimo de Michel Temer. Nessa sexta-feira, 25 de novembro, milhares de manifestantes em todo o Brasil construíram mais um Dia Nacional de Lutas, com greves, paralisações e mobilizações. Em Belo Horizonte, a concentração foi na Praça Sete e reuniu centrais sindicais, movimentos sociais, trabalhadoras(es) e estudantes.

Cartazes, faixas e intervenções reforçaram a luta contra a PEC 55 (Proposta de Emenda à Constituição que corta os investimentos públicos nas áreas sociais), umas das grandes ameaças aos direitos do povo brasileiro. O ato também foi para denunciar as reformas da previdência e trabalhista, que representam um grande ataque aos trabalhadores(as). A manifestação também contou com a força das ocupações estudantis, que levou para a rua o grito em defesa de uma educação pública e de qualidade, além de muita criatividade para construir um ato diverso. Estudantes da Ocupação do curso de Belas Artes da UFMG, por exemplo, fizeram uma performance, “cortejo fúnebre” , que simulou o enterro da saúde e educação, consequência direta da aprovação da PEC 55. O caixão simbólico foi carregado pelos estudantes e artistas da ocupação.

O presidente nacional da CTB, Adilson Araújo, afirmou que as centrais estão alinhadas na construção de um calendário de Lutas pelo Brasil contra a supressão de direitos, flexibilização e precarização. “Nós levamos 70 anos para conseguir uma cesta básica de direitos. E é lamentável que fruto do golpe em 200 dias tenha se praticado mais de 500 medidas para penalizar a tão sofrida classe trabalhadora”, frisou Araújo em sua intervenção durante o ato realizado na cidade de São Paulo.

Para Valéria Morato, presidenta do Sinpro Minas, é muito importante reforçar a unidade com os movimentos sociais, sindicais e ocupações estudantis. “O momento é de unir forças em defesa de direitos historicamente conquistados. O Sinpro assume o compromisso de seguir construindo essa luta nas ruas e todos os espaços possíveis. Ocupar é resistir”, ressaltou.

A próxima mobilização contra a PEC 55 deve ocorrer em Brasília, no dia do primeiro turno de sua votação no Senado, 29 de novembro. O segundo turno da votação deve ocorrer no dia 13 de dezembro.

Confira abaixo a galeria de fotos do ato realizado em Belo Horizonte:

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Geral
Mundo
Opinião
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Ponte Nova
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Teófilo Otoni
Uberaba
Uberlândia
Varginha