Notícias

Unitri atrasa pagamento e professores/as se mobilizam por mais valorização

10 de janeiro de 2019

Professores e professoras da Unitri (Centro Universitário do Triângulo), com sede em Uberlândia, começam o ano de 2019 lutando para garantir seus direitos trabalhistas. Desde o último mês de outubro a instituição atrasa o pagamento dos salários do corpo docente e não tem construído junto aos/às professores/as uma maneira de solucionar a questão.

A  Unitri até o momento não apresentou justificativas coerentes para atrasar o pagamento, alegando simplesmente falta de dinheiro, sendo que nada prova que a instituição, que pertence a um dos maiores grupos privados de educação do estado, não está recebendo seus lucros.

Com o pagamento realizado de forma totalmente desorganizada e em dias diferentes, os/as professores/as começaram a se mobilizar, exigindo os salários pagos no início do mês e em um único dia. No último mês de novembro, chegaram a propor uma paralisação caso o pagamento não fosse realizado. Com a pressão do corpo docente, a Unitri pagou imediatamente os/as professores/as, mesmo ainda justificando a “falta de dinheiro” em caixa. Encerradas as aulas os atrasos continuaram e os impactos na vida dos/as docentes é grande, já que precisam arcar com os juros das dívidas que não podem pagar em dia. Um custo muito maior do que o último reajuste salarial de apenas 1,82%.

Diante dessa situação, o Sinpro Minas repudia a postura da Unitri, que apresenta um visível ataque aos direitos trabalhistas e à valorização da atividade docente. Se a conjuntura política é de grandes retrocessos, atitudes como essa só reforçam a violação de conquistas históricas. Qualquer direito retirado de um/a professor/a também ameaça à educação, que essencialmente precisa de trabalhadores/as valorizados e respeitados. É necessário também denunciar a lógica mercantilista que coloca o lucro acima do compromisso com a educação e com a condição humana dos/as que educam e são educados.

O Sinpro Minas  reitera  o compromisso de atuar junto aos/as professores/as da Unitri neste momento de mobilização e também convida toda comunidade escolar a fortalecer essa luta. Exigir o simples cumprimento das obrigações legais assumidas no contrato de trabalho é também lutar por uma educação de qualidade. E o momento atual nos ensina que só a força coletiva será capaz de enfrentar tantos retrocessos.

COMENTÁRIO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Categorias

Artigo
Ciência
COVID-19
Cultura
Direitos
Educação
Entrevista
Eventos
Geral
Mundo
Opinião
Opinião Sinpro Minas
Política
Programa Extra-Classe
Publicações
Rádio Sinpro Minas
Saúde
Sinpro em Movimento
Trabalho

Regionais

Barbacena
Betim
Cataguases
Coronel Fabriciano
Divinópolis
Governador Valadares
Montes Claros
Paracatu
Patos de Minas
Poços de Caldas
Pouso Alegre
Sete Lagoas
Uberaba
Uberlândia
Varginha